SEJA BEM VINDO! RR ADVOCACIA
O Brasil está em Luto pela Vítimas de Brumadinho. Que Deus de forças as Famílias. Esperamos pela Justiça!
Assistir a uma injustiça e nada fazer para a impedir, faz de você tão culpado como quem a comete.
Estamos em LUTO!

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao acompanhamento do seu processo.

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,86 3,86
EURO 4,32 4,32

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

TJSP na Mídia: presidente da Corte participa do programa ‘Data Venia’

Transferência do arquivo também é destaque na imprensa.           O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, foi o entrevistado do programa ‘Data Venia’, exibido ontem (15) pela RedeTV, com apresentação do advogado Luiz Flavio D’Urso. O magistrado falou sobre sua trajetória; abordou a atuação da Magistratura e da Advocacia; os números da Justiça paulista e os desafios da gestão na Presidência.         Um dos pontos destacados na entrevista foi a atuação da Justiça Eleitoral. “Vez ou outra se fala que a Justiça Eleitoral deveria ser federalizada. Eu discordo totalmente”, afirmou Pereira Calças. “Os Tribunais Regionais Eleitorais são presididos por desembargadores estaduais. Outro desembargador acumula as funções de vice-presidente e corregedor, além dos demais magistrados estaduais que compõem a Corte. A Justiça Eleitoral tem um serviço notável prestado à democracia brasileira. Tem uma história de eficiência. As urnas eletrônicas são indubitavelmente seguras e rápidas. O Brasil é paradigma.”         A entrevista também abordou a conciliação e a mediação. O presidente ressaltou que as universidades também devem trabalhar os métodos autocompositivos para solução dos conflitos. “Hoje nós temos 100 milhões de processos em andamento no Brasil, 20 milhões na Justiça de São Paulo. Considerando o número de cidadãos, temos um processo para cada duas pessoas. É um número absurdo. Isso decorre da conscientização dos direitos da cidadania, mas, também, de um problema que advém dos nossos cursos jurídicos. Porque fomos treinados para ajuizar ações. Os cursos levam em conta a judicialização dos conflitos, sem que haja uma matéria de conciliação ou mediação. Só agora os órgãos encarregados estão trabalhando para que haja o ensino de outros meios de solução de conflitos”, afirmou Pereira Calças na entrevista.         Assista ao vídeo da entrevista.           Transferência do arquivo         O Blog do Fausto, do jornal O Estado de São Paulo, e o site Consultor Jurídico publicaram notícias sobre a transferência do acervo de processos do arquivo do Ipiranga para Jundiaí, a partir da contratação da empresa Iron Mountain. A operação foi iniciada na última terça-feira (14) e envolve 9,5 milhões de volumes, que vão encher 8 mil caixas por dia, durante seis meses. “Essa despesa, com papéis que, muitas vezes, não têm valor algum, sai do bolso do contribuinte, do bolso de todos nós. Vamos racionalizar custos; mas não é só isso, vamos também levar em conta os ganhos do ponto de vista da gestão documental e da preservação da memória histórica do Tribunal de Justiça”, diz o presidente Pereira Calças. “Os esforços financeiros devem ser reservados para a preservação dos que, realmente, têm valor histórico, probatório e informativo.”                    imprensatj@tjsp.jus.br
16/05/2019 (00:00)
Visitas no site:  509044
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.