SEJA BEM VINDO! RR ADVOCACIA
O Brasil está em Luto pela Vítimas de Brumadinho. Que Deus de forças as Famílias. Esperamos pela Justiça!
Assistir a uma injustiça e nada fazer para a impedir, faz de você tão culpado como quem a comete.
Estamos em LUTO!

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao acompanhamento do seu processo.

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,74 3,74
EURO 4,20 4,20

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Supremo julgará em novembro uso de dados da Receita pelo Ministério Público

Por Gabriela Coelho O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, marcou para 21 de novembro a análise do recurso que decidirá se é constitucional o compartilhamento com o Ministério Público, para fins penais, dos dados bancários e fiscais de contribuintes obtidos pela Receita sem autorização judicial. O assunto ganhou importância depois que dados do ministro Gilmar Mendes vieram a público de forma ilegal, há pouco mais de um mês. O fato jogou luz sobre a atuação de uma força-tarefa do Fisco que investiga 134 pessoas. Documentos obtidos pela ConJur mostram que, pelo menos desde agosto de 2018, existe um canal de envio de relatórios entre a chamada "equipe especial de fraudes" e a operação "lava jato". Outro relatório, similar ao do ministro Gilmar, foi encaminhado para o coordenador dos auditores destacados para trabalhar na operação. Decisão cassada Em maio, por maioria, a 2ª Turma do STF cassou decisão monocrática do ministro Luiz Edson Fachin para retomar posição das instâncias inferiores contra o compartilhamento de dados da Receita Federal com o Ministério Público sem autorização judicial. Com a decisão, o caso volta ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Em abril, o presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, também suspendeu um recurso extraordinário até que o Supremo julgue se a Receita Federal poderá compartilhar dados bancários. RE 1.055.941
Visitas no site:  518067
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.