Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao acompanhamento do seu processo.

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,90 3,90
EURO 4,44 4,44

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Plenário começa a analisar recurso sobre terceirização de call center em empresas de telefonia

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) iniciou nesta quarta-feira (10) o julgamento do Recurso Extraordinário com Agravo (ARE) 791932, com repercussão geral reconhecida, que trata da possibilidade de terceirização de call center de empresas de telefonia. Após a leitura do relatório pelo ministro Alexandre de Moraes e da sustentação oral das partes e dos amici curiae, o julgamento foi suspenso e deverá ser retomado na sessão de quinta-feira (11). O recurso teve origem em reclamação trabalhista ajuizada por uma atendente contratada pela Contax S/A, prestadora de serviços de call center, para atuar na Telemar Norte Leste S/A. O Tribunal Superior do Trabalho (TST), seguindo sua jurisprudência (Súmula 331), considerou ilícita a terceirização por entender que os serviços de call center se inserem na atividade-fim das empresas de telefonia. Da tribuna, o advogado da Contax (atual Liq Corp S/A), José Alberto Couto Maciel, sustentou que a matéria já foi decidida pelo STF em agosto, no julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 324 e do Recurso Extraordinário (RE) 958252, com repercussão geral reconhecida. Na ocasião, o Plenário entendeu que é lícita a terceirização em todas as etapas do processo produtivo. Lembrou também que a questão de fundo do ARE 791932, que é a cláusula de reserva de plenário, também já foi objeto de decisões do STF. Diante do fato novo da fixação de tese sobre a terceirização, o advogado sugeriu que o Plenário apenas diga que a tese de repercussão geral fixada no julgamento da ADPF 324 e do RE 958252 se aplica também ao caso e aos mais de sete mil processos sobrestados na Justiça do Trabalho aguardando a decisão do ARE. Também se manifestaram, na sessão de hoje, na condição de amici curiae, representantes da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), da Federação Interestadual dos Trabalhadores e Pesquisadores em Serviços de Telecomunicações (Fitratelp), da Associação Brasileira de Telesserviços (ABT) e da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee). Leia mais: 27/7/2014 – STF analisará terceirização de call center em empresas de telefonia      
10/10/2018 (00:00)
Visitas no site:  474294
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.