Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao acompanhamento do seu processo.

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,41 3,41
EURO 4,19 4,19

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Operadoras de TV por assinatura podem ser proibidas de cobrar por ponto adicional

Os deputados estaduais aprovaram projeto que determina a proibição da cobrança extra do ponto adicional instalado pelas operadoras de tevê por assinatura. A votação ocorreu em Plenário no último dia 27/12. A lei federal que regulamenta o serviço de tevê a cabo não prevê a possibilidade de cobrança adicional de serviço, no entanto as empresas cobram pelo ponto extra. Nesse contexto, o deputado José Américo (PT) apresentou o Projeto de Lei 844/2017, que determina a proibição da cobrança extra. Ele defende que o valor pago a mais pelo consumidor é abusivo. "Uma das justificativas apresentadas pela Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA) para validar a cobrança do ponto adicional está na possibilidade de uma programação inpidualizada. Todavia, não especifica comentários técnicos suficientes quanto à utilização "espelho" do ponto adicional, ou seja, quando o consumidor pretende apenas reproduzir os canais que fazem parte do pacote adquirido no ponto principal", explicou. José Américo considera abusivo esse tipo de cobrança. "Não é plausível a cobrança adicional de alguém que pretenda ter acesso à relação idêntica à contratada no ponto principal, em outro local de sua própria residência." O projeto prevê ainda que o aparelho para recepção do ponto adicional poderá ser cobrado, mas sem acréscimo no valor mensal. A cobrança por ponto adicional só será devida no caso de o consumidor optar por programação diferente do ponto principal. O maquinário para a transmissão do sinal adicional poderá ser cobrado, mas deve ser garantido ao consumidor o direito de aquisição de aparelho com recepção universal. Caso a operadora não possua condições de liberar o sinal por meio do aparelho universal, deverá fornecer aparelho adequado sem qualquer ônus para o consumidor. O projeto aguarda sanção do governador para entrar em vigor.
11/01/2018 (00:00)
Visitas no site:  427903
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.