SEJA BEM VINDO! RR ADVOCACIA
O Brasil está em Luto pela Vítimas de Brumadinho. Que Deus de forças as Famílias. Esperamos pela Justiça!
Assistir a uma injustiça e nada fazer para a impedir, faz de você tão culpado como quem a comete.
Estamos em LUTO!

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao acompanhamento do seu processo.

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,04 4,04
EURO 4,48 4,48

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Acusado de matar taxista é condenado a mais de 30 anos em Guaratinguetá

Crime foi praticado em companhia de menor de idade.         Um homem foi condenado pela 1ª Vara de Guaratinguetá, pelo crime de latrocínio praticado contra um taxista da cidade, a 30 anos de reclusão, em regime inicial fechado. O réu foi sentenciado também a um ano, seis meses e 20 dias, pelo crime de corrupção de menor, e a um ano e seis meses, mais 20 dias de reclusão, por ocultação de cadáver.          Consta nos autos que, para conseguir pagar uma dívida pelo uso de drogas, o acusado aliciou um menor de idade e pediu que ele chamasse um táxi pelo telefone. Quando o motorista, de 71 anos, chegou ao local, os dois entraram no carro e indicaram o destino para onde deveria seguir. No local, o acusado aplicou um golpe contra o pescoço da vítima, denominado mata-leão, que a levou à morte. Nesse momento, roubaram R$ 150 do bolso do motorista, o taxímetro, celular e um rádio portátil. Em seguida rumaram para a beira de um rio para se livrarem do corpo. Denúncia anônima levou policiais até onde se encontravam os dois acusados, no dia seguinte à prática do crime. O menor confessou o ocorrido e indicou o acusado como autor do homicídio.         “Diante do exposto, tudo o que foi apurado neste processo está a sustentar, no conjunto coerente, a culpabilidade do réu, induvidosamente, em relação aos delitos de latrocínio, ocultação de cadáver e corrupção de menores”, escreveu em sua decisão o juiz Paulo César Ribeiro Meireles. Cabe recurso da decisão. O réu não poderá apelar em liberdade.         Processo nº 0000597-56.2017.8.26.0621                 imprensatj@tjsp.jus.br
18/07/2019 (00:00)
Visitas no site:  528866
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.